14 de abril de 2024

PF prendeu irmãos Brazão e Rivaldo Barbosa, ex-chefe da Polícia Civil do Rio, como supostos mandantes. Investigação continua; entenda o que acontece até uma eventual condenação.

Acesse a publicação original e completa no portal g1, em 24/03/2024

A Polícia Federal prendeu neste domingo (24) três suspeitos de serem mandantes do assassinato da vereadora Marielle Franco, em março de 2018. O motorista Anderson Gomes também foi assassinado no mesmo episódio.

Foram presos Domingos Brazão, atual conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, Chiquinho Brazão, deputado federal do Rio de Janeiro (União Brasil), e Rivaldo Barbosa, ex-chefe de Polícia Civil do Rio.

Além da PF, a Procuradoria-Geral da República e o Ministério Público do Rio também integram a operação cumprida neste domingo. A PF cumpre 12 mandados de busca e apreensão na sede da Polícia Civil do Rio e no Tribunal de Contas do Estado.

Leia abaixo a repercussão da prisão dos supostos mandantes entre políticos e autoridades:

  • Anielle Franco, ministra da Igualdade Racial e irmã e Marielle

“Só deus sabe o quanto sonhamos com esse dia! Hoje é mais um grande passo para conseguirmos as respostas que tanto nos perguntamos nos últimos anos: quem mandou matar a Mari e por quê? Agradeço o empenho da PF, do gov federal, do MP federal e estadual e do Ministro Alexandre de Moraes. Estamos mais perto da Justiça! Grande dia!”

  • Flávio Dino, ministro do Supremo Tribunal Federal

Domingo de Ramos, domingo de celebração da Fé e da Justiça. Livro dos Salmos: “Ainda que floresçam os ímpios como a relva, e floresçam os que praticam a maldade, eles estão à perda eterna destinados. Como a palmeira, florescerão os justos, que se elevarão como o cedro do Líbano.”

  • Jorge Messias, advogado-geral da União

“Não conheci pessoalmente a vereadora Marielle Franco. Mas conheci a sua história de luta! Conheci também, e me tornei amigo, a sua irmã Anielle Franco e familiares. Acompanhei um pouco a dor e o sofrimento de uma casa pela luta por justiça. Hoje é um dia que a Justiça brasileira avança e traz para família, amigos e a sociedade brasileira o resgate da esperança e a certeza de que a verdade prevalecerá. Que TODOS os responsáveis pelos assassinatos de Marielle e Anderson sejam julgados na forma da lei. O Brasil começa um novo tempo: o fim da era da impunidade. Que esse novo tempo chegue para família de Marielle e para milhares de famílias que aguardam por justiça.”

  • Paulo Pimenta, ministro da Secretaria de Comunicação Social

“Desde o início do mandato do Presidente Lula em janeiro de 2023, medidas foram tomadas e equipes da Polícia Federal autorizadas pelo Ministério da Justiça se somaram às investigações. Tais medidas foram decisivas para o esclarecimento do assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson.”

“O Governo Federal seguirá cumprindo o seu papel para combater essas quadrilhas violentas que cometem graves crimes contra as famílias brasileiras. A continuidade das investigações vai com certeza esclarecer vários outros crimes. Parabéns ao Ministério Público Federal, o Ministério Público do Rio de Janeiro e o STF decisivos para elucidar esse crime.”

  • Marcelo Freixo, presidente da Embratur e correligionário de Marielle

“Olá, gente. Domingo, e os mandantes da morte da Marielle acabaram de ser presos pela Polícia Federal. Parabéns ao trabalho da Polícia Federal. Os irmãos Brazão, Domingos Brazão e Chiquinho Brazão, estão presos neste momento. Um do Tribunal de Contas do RJ, o outro deputado federal que era vereador junto com a Marielle, mas foi preso também um delegado da Polícia Civil, o Rivaldo Barbosa, que na época da morte da Marielle, era simplesmente o chefe da Delegacia de Homicídios.”

“Então, hoje nós temos a prisão de quem matou, de quem mandou matar e quem não deixou investigar. Porque é por isso que nós ficamos seis anos, nessa angústia, sem saber quem mandou matar a Marielle. É importante que a gente saiba que a Delegacia de Homicídios, durante esse tempo da Marielle, foi o verdadeiro escritório do crime. Ninguém dos matadores famosos do Rio de Janeiro, que vira série no Rio de Janeiro, foram investigados por essa Delegacia de Homicídios. Apesar de a gente saber do quanto bons policiais existem no RJ, mas que foram impedidos de investigar corretamente o caso Marielle. Chegamos à resposta, e é isso que a gente precisava.”

  • Gleisi Hoffmann, presidente do PT e deputada federal (PR)

“Prisão dos suspeitos de serem mandantes do assassinato de Marielle é um marco na luta contra a violência política e de gênero. Que sejam denunciados e julgados todos os envolvidos no crime, que também vitimou o Anderson. Trabalho sério da Polícia Federal, em sintonia com o Ministério Público e o STF, foi fundamental para que o país e o mundo conhecessem a verdade, por tanto tempo ocultada.”

  • Wellington Dias, ministro do Desenvolvimento Social

“Há seis anos esperamos por esse dia. Foram presos hoje os suspeitos de mandar matar a vereadora Marielle Franco. Um crime bárbaro, que escancarou a violência política contra uma mulher que lutava bravamente pelas comunidades do Rio de Janeiro. Meu abraço à minha amiga Anielle Franco, a todos os familiares, amigos e especialmente aos cariocas. Continuamos muito atentos e na luta por dias de justiça e paz, especialmente para as mulheres que escolhem a Política como lugar de luta.”

  • Sônia Guajajara, ministra dos Povos Indígenas

“Depois de 6 anos, estão presos os suspeitos de mandar matar e operar para atrapalhar as investigações do assassinato da vereadora Marielle Franco. Finalmente começamos a ter respostas para esse crime covarde. A luta de Marielle por um país mais justo não será calada. Seguimos!”

  • Jandira Feghali, deputada federal (PCdoB-RJ)

“Após seis anos de longa espera, a Polícia Federal prendeu na manhã de hoje os irmãos Domingos e Chiquinho Brazão, suspeitos de mandar matar Marielle Franco e Anderson Gomes. As prisões e mais 12 mandados de busca e apreensão foram feitos a partir da delação premiada de Ronnie Lessa. Também foi preso o delegado Rivaldo Barbosa, que assumiu a delegacia de homicídios na véspera do assassinato, e segundo a delação, este delegado garantiu a não investigação e a impunidade. Gravíssimo e profundo o envolvimento do delegado e quem ele nomeou, como Giniton Lages. Não à toa, a investigação estadual, pela Polícia Civil, não evoluiu para a apuração verdadeira do caso. “

“Tudo muito chocante. A federalização deste crime bárbaro levou a este ponto em que chegamos. Parabéns à policia federal e ao STF. Minha total solidariedade às famílias de Marielle e Anderson! Agora vamos acompanhar todas as provas que serão coletadas a partir daí e esperamos que a punição seja dura e exemplar. Marielle vive!!!!!”

Clipping LGBT+ no Instagram
Clipping LGBT+ no Threads
Clipping LGBT+ no Facebook

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *