4 de março de 2024

Cantor afirmou em suas redes que fala é uma gírias usada em comunidade.

Publicado pelo portal g1, em 11/02/2024

Oh Polêmico puxa trio pipoca no circuito Dodô, nesta sexta-feira (9)
Foto: Joilson César/Ag. Picnews

O Ministério Público da Bahia notificou, neste domingo (11), a Banda “O Polêmico” e o seu vocalista, Deivisson Nascimento, para que seja esclarecida uma fala supostamente homofóbica durante desfile em trio elétrico na última sexta-feira (9).

O caso aconteceu no circuito Dodô, no centro da capital baiana. Imagens que viralizaram nas redes sociais mostram o momento em que o artista diz: “Segura, segura, segura. Um monte de homem se beijando”. Em seguida, ele completa: “Vai curtir o bloco, cheio de mulher aqui”.

Após ser criticado, o cantor utilizou suas redes sociais para pedir desculpas e negou ser homofóbico. Ele diz ser apoiador da comunidade LGBTQIA+ e garantiu que utilizou uma gíria comum nas comunidades para relatar agressões durante o percurso.

Segundo ele, a frase foi dita por conta de brigas e sequer havia pessoas se beijando. Na rede social da banda, uma nota reforça que o artista é um “aliado” da causa LGBTQIA+. “Ser um aliado da comunidade LGBTQIA+ é uma forma importante de apoiar a luta por direitos e garantir que todas as pessoas sejam tratadas com respeito e dignidade, independentemente da sua identidade de gênero e/ou orientação sexual.”

O cantor deverá apresentar o esclarecimento por escrito, não há obrigatoriedade dele comparecer a sede o MP-BA. O g1 tenteu contato com a equipe do artista para saber se a notificação do Ministério Público será cumprida no prazo previsto. Até o fechamento da matéria a equipe do cantor não atendeu as ligações da reportagem.

Clipping LGBT+ no Instagram
Clipping LGBT+ no Threads
Clipping LGBT+ no Facebook

1 thought on “Cantor é notificado pelo Ministério Público após fala considerada homofóbica no carnaval: “Um monte de homem se beijando”

  1. Imaginemos, que para o Homem que Não se enquadra na modalidade: “Homem Sexo com outro Homem” e nem na “transa entre gays”, o ser exceção ou “remanescente hetero” deve sentir uma certa limitação! Num dos carnavais quando pedi para um colega ir junto, nem haviamos tido intimidades antes, mas chegamos a transar num pequeno Hotel (de pernoite) por algumas horas, na madrugada; comprou café da manhã na Padaria, para nós! Transamos antes de tomar o café, como “Grand Finale”!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *