A maldade humana é intrínseca ou adquirida?

Por Tiago Zanesco

http://g1.globo.com/mundo/noticia/2016/01/manifestacao-em-roma-protesta-contra-a-uniao-civil-homossexual.html

(Foto: Remo Casilli/ Reuters)

Segundo dados de autoridades italianas, cerca de 500 mil pessoas foram às ruas em Roma para protestar contra o projeto de lei do casamento entre pessoas do mesmo sexo. A notícia foi veiculada pelo portal G1, no último dia 30Esse evento parece responder a uma questão milenar importante da filosofia e que é parâmetro para a “Convenção Social” de onde extraímos o Direito e os Costumes: “A maldade humana é intrínseca ou adquirida?”

Iniciando aqui, odiar aquele ou aquilo pelo fato de ser em si sem que o ser ou o fenômeno atinja, de forma prejudicial, o outro é logicamente maldade.

O argumento constrói e destrói teses para ambos os lados referente ao objeto: Casamento Gay.
De forma defensiva, justifica em uma civilização o oficializar a união entre pessoas de mesmo sexo pois, o Casamento Civil tem por “Norte” garantir direito e dever às partes em várias esferas da “Convenção Social”, filhos, patrimônio, dependência, saúde, vida e morte. Já no campo religioso, não sendo os contrários “donos” da fé mas sim de Dogmas de religiões, é justo, sendo a fé uma “ciência pura” e não aplicada, que os defensores da mesma usufruam-na, pois não pode ser provado qualquer posicionamento sobre a fé.

Aqui parte a interessante tese dos contrários, a brincadeira semântica com a “Convenção Social” e o apego infantil ao “Não porque Não”. A relação ocorrida na esfera privada dos cônjuges iguais em gênero não afeta negativa ou positivamente a esfera dos cônjuges diferentes. Após anos de vivência social com esse tipo de casal, percebeu-se que seus filhos não diferem em desempenho ou cognição por esse fato em si e que esses casais simplesmente não diferem dos demais no desempenho profissional ou empatia na comunidade.

Resta argumentar a legislação de alguns locais a qual expressa a exclusão desse tipo de caso. Estado e Igreja foram um só por muito tempo na história humana, o fundamento da igreja como um todo está retido em textos da Idade do Bronze sobre os quais nada parece objeto de prova, pois advém de período pré-escrita, sendo que na linguagem falada a informação se corrompe na interpretação pessoal. Dito isso, está a base para legislações nascidas do “umbigo religioso” e também dos Dogmas Religiosos em si já desconsiderado o Estado.

Não havendo fuga na lógica, há o incômodo interno com a felicidade do outro, o desejo intrínseco de ser feliz pelo ato de não permitir o diferente, o regozijo na maldade que lembra a satisfação de crianças que matam gatos, queimam cachorros, essa “birra infantil” que apenas é domada pela norma. Logo não havendo prejuízo algum aos casais heteros pela existência de casais homo, a tentativa de destituí-los vem do âmago de praticar o mal, ou seja, é intrínseco, logo deve haver uma inversão da ótica para esse contingente e como ele deve ser detido, pois é desvio moral não conseguir viver estável em sociedade.

•••

CLIQUE AQUI E CONHEÇA A PÁGINA DO CLIPPING LGBT NO FACEBOOK.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *