Secretarias de Segurança Pública e Direitos Humanos da Bahia discutem identidade sexual

Publicado pela Secretaria da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos da Bahia, em 24 de julho de 2014

SSP-BA

Foram apresentados na manhã desta quinta-feira (24),  no auditório da Secretaria da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos, novas propostas que visam qualificar políticas públicas de grupos vulneráveis do Estado da Bahia. Promovido pela Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP), em parceria com o Núcleo de Lésbicas, Gays, Travestis e Transexuais (LGBT), órgão vinculado a SJCDH,  a reunião apresentou pautas  tais como os procedimentos preventivos e denúncias em relação as temáticas LGBT.

Durante a apresentação do  Grupo de Trabalho  da Secretaria de Segurança pública,  o tenente-coronel PM, Jaime Ramalho Neto, ressaltou a importância da qualificação do atendimento às pessoas vulneráveis, destacando todas as comunidades. “É necessário uma revisão dos procedimentos de atendimentos que são realizados dentro dos órgãos públicos,  para melhor acolhimento às mulheres, idosas, lésbicas, travestis que vivem em situação de riscos”, afirmou Ramalho.

Para a Coordenadora do Núcleo LGBT, Paulett Furacão, incorporar novas propostas na gestão policial que  se proponham a ajudar o movimento que sofre violência é fundamental. “É o momento de diálogo para  discutir a vulnerabilidade do movimento LGBT  e nós só temos a ganhar com essa abertura de políticas públicas”, pontuou Furacão.

O encontro contou com a presença do Superintendente de Apoio e Defesa dos Direitos Humanos, Ailton Ferreira, que em seu discurso reforçou o impacto das novas propostas na sociedade. “Estamos vivendo um momento único, onde a capacitação dentro do Estado gera a compreensão que temos de incorporar todas as pessoas, independente da sua identidade social”, completou Ailton. Ainda estiveram presentes representes do Ministério Público; Defensoria Pública; SEPROMI, SERIN, integrantes de movimentos sociais, dentre outros.

O GT da SSP foi instituído através da portaria 227, de 15 de abril de 2014, pelo Secretário Maurício Teles Barbosa, com o objetivo de diagnosticar os fatores epidemiológicos, elaborar procedimentos e protocolos para o atendimento qualificado aos grupos vulneráveis no Estado da Bahia.

O CLIPPING LGBT TAMBÉM ESTÁ NO FACEBOOK. CLIQUE AQUI, CONFIRA E CURTA NOSSA PÁGINA.

Share

You may also like...

1 Response

  1. Maria Midori disse:

    Ainda que tardia essa preocupação com a nossa população LGBT.
    Devemos dar uma atenção maior as Travestis e Transexuais que sofrem com o genocídio cometido pela sociedade, que não vê ou finge de cega.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *