24 de junho de 2024

Com base em evidências científicas, o Observatório Nacional dos Direitos Humanos (ObservaDH) se tornará o maior conjunto de dados disponível no país para monitoramento e análise de políticas públicas, com informações e indicadores estratégicos sobre grupos sociais e temas prioritários do Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania

Publicado pelo Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania, em 11/12/2023

Está no ar o Observatório Nacional dos Direitos Humanos (ObservaDH). A plataforma reúne informações e indicadores estratégicos sobre os grupos sociais e os temas prioritários do Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania (MDHC) e foi lançada no último dia 11, em cerimônia no Palácio do Planalto, com a presença do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, e do ministro Silvio Almeida.

Disponível a toda a população, serão apresentados conjuntos de dados sobre: crianças e adolescentes, pessoas idosas, com deficiência, LGBTQIA+, em situação de rua, além de informações acerca do enfrentamento aos discursos de ódio e da capacidade institucional que os estados e os municípios têm para garantir a defesa dos direitos humanos de sua população. Em breve, serão abordados também outros temas e grupos sociais vulnerabilizados.

O ObservaDH foi instituído pela portaria nº 571, de 11 de setembro de 2023, e tem como objetivo difundir e analisar informações estratégicas sobre a situação dos direitos humanos no Brasil, fornecendo evidências para o planejamento, o monitoramento e a avaliação de políticas públicas de defesa, promoção, proteção, educação e cultura em direitos humanos, nos níveis de governo federal, estadual e municipal e junto à sociedade civil. A ferramenta é fruto do trabalho articulado realizado pela Coordenação-Geral de Indicadores e Evidências do MDHC. 

Linguagem simples e acessível

Apresentado na forma de narrativas de dados e painéis, com linguagem simples e por meio de recursos de acessibilidade, o observatório estabelece um diálogo com toda a população. No entanto, as informações disponibilizadas são de especial relevância para representantes da sociedade civil, organizações nacionais e internacionais e gestores públicos envolvidos com as políticas públicas de direitos humanos. Isso porque, com base na série de indicadores e evidências, será possível planejar, monitorar e avaliar a aplicação das políticas do Ministério e demais instituições, públicas e privadas. As atualizações e acréscimos de novos conteúdos ao ObservaDH ocorrerão trimestralmente, sob a coordenação do MDHC.

Nessa primeira versão, a plataforma traz mais de 250 indicadores e índices sobre os públicos e temas prioritários do MDHC, fruto de um trabalho de mapeamento de mais de 30 bases de dados. Trata-se do maior conjunto de dados sobre esse grupo de temas disponível no Brasil.

Todas as informações qualificadas foram reunidas a partir de registros administrativos federais e pesquisas censitárias nacionais. Para a coleta e atualização dos indicadores e índices, o MDHC firmou, ao longo dos últimos meses, importantes parcerias com institutos de pesquisa, universidades e organizações nacionais e internacionais, entre eles o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), o Conselho Nacional de Justiça, a empresa Itaipu Binacional e o Parque Tecnológico de Itaipu.

ReneDH

Também neste ano, foi criada a Rede Nacional de Evidências em Direitos Humanos (ReneDH), com o objetivo de promover a articulação, produção e disseminação de informações estratégicas e evidências destinadas a subsidiar a tomada de decisão sobre políticas de direitos humanos e cidadania, e que contará com a participação de órgãos e entidades da administração pública nos três níveis, instituições de pesquisa e ensino, e organizações da sociedade civil e movimentos sociais da área de direitos humanos e cidadania que desenvolvem pesquisas, estudos e análises nesse campo.

Clipping LGBT+ no Instagram
Clipping LGBT+ no Threads
Clipping LGBT+ no Facebook

1 thought on “ObservaDH: Governo lança plataforma com indicadores inéditos sobre grupos vulnerabilizados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *