Leitores elogiam capa da Exame: “corajosa”

“Chefe, sou gay” é a chamada da nova capa da revista da Editora Abril, que vem repercutindo positivamente desde ontem nas redes sociais; “APLAUSOS à Exame. Tem que ter coragem e pioneirismo pra fazer a coisa certa”, escreve um leitor; “Parabéns a revista pela coragem em trazer à tona um tema extremamente atual e relevante”, comenta outro; reportagem apresenta a “primeira geração de executivos brasileiros que tratam sem rodeios uma questão por muito tempo mantida como tabu nas empresas”

Publicado pelo jornal Brasil 247, em 24 de abril de 2015

capaexameDesde esta quinta-feira 23, quando divulgou a capa de sua nova edição nas redes sociais, a revista Exame tem recebido muitos elogios e algumas críticas dos leitores, mas principalmente provocado o debate.

A chamada principal diz “Chefe, sou gay – surge a primeira geração de executivos brasileiros que tratam sem rodeios uma questão por muito tempo mantida como tabu nas empresas – e todos ganham com isso”.

“APLAUSOS à Exame. Tem que ter coragem e pioneirismo pra fazer a coisa certa”, escreveu Bruno Grimaldi. “Parabéns a revista pela coragem em trazer à tona um tema extremamente atual e relevante. Infelizmente, ainda há muitas empresas preconceituosas que discriminam seus funcionários com base na orientação sexual e não no seu desempenho profissional”, comentou Guilherme Vianna Bertola.

A pauta também foi alvo de críticas: “Nada a ver. Seja hetero, homossexual, bissexual, dinossauro, alien, etc. seja profisisional e dê o melhor de si no seu trabalho. Matéria heterofóbica!”, acusou Joao Paulo Amorim. No geral, os leitores chamara, porém, a capa da publicação da Abril de “corajosa”.

A reportagem menciona como exemplo do CEO da Apple, Tim Cook, que disse ter “orgulho de ser gay” e considera esse “um dos maiores dons que Deus lhe deu”, e traz como personagens Sérgio Giacomo, da GE, Ricardo Yuki, do Citibank, Gisela Pinheiro, da Química Dow, e Ezra Geld, da agência J.W. Thompson.

Clique no link abaixo e assista ao vídeo publicado pela Exame no Facebook

https://www.facebook.com/Exame/videos/10153351665248953/

•••

O CLIPPING LGBT TAMBÉM ESTÁ NO FACEBOOK. CLIQUE AQUI, CONFIRA E CURTA NOSSA PÁGINA.

Share

You may also like...

2 Responses

  1. Clipping LGBT disse:

    Um dos comentários feito à publicação de revista Exame acusa a matéria de “heterofóbica”. Como se não bastasse o termo já ser algo delirante, eu gostaria que o acusador apontasse o trecho onde ele identifica um discurso de ódio contra heterossexuais. Eu duvido que exista.

    • Observador disse:

      A Sexualidade, não sei se devido ao suposto freio que a AIDS trouxe para a sexualidade fluida e que como atrelou a doença as relações com pessoas do mesmo gênero, doravante começou a ser levantada a “bandeira” de ser “todos” heteros! E entre chefe e funcionário chega a ser impressionante o “jogo” que há. Uma chefe de seção entrou no charme do funcionário e por serem de mesma ideologia politica, quase jogou o casamento dela para o espaço e o cara é afinadissimo com colega gay de outro setor, que mesmo casado, todos sabem que é por satisfação social, mas por ter sido pai, deve mexer com imaginário masculino! Na realidade o colega queria estar na função dela (chefe), mas antes ele quis ser chefe dela, começando por assessorar, mas como era minha função ele não conseguiu o intento! Depois, o chefe de outro setor, me despertou atração, mas eu não sabia que era um cara em que uma colega (funcionária dele) buscava ele como genro! Demorou tanto a remoção que aceitei o convite de relação fluida de colega bissexual! Quando a remoção saiu, o então novo chefe, como “aborrecente” quis se achar sedutor, levantando a camisa ou a camisa marcando mamilos dele, acabei foi entendendo que com ele não sairia do “1×1”, nem ter a percepção que eu estava, digamos, namorando ele teve!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.