22 de maio de 2024

O Instituto Brasileiro de Transmasculinidades – IBRAT realiza o mapeamento de violências e demandas de transmasculinidades no Brasil. A pesquisa é conduzida por Cello Latini Pfeil e contou com a colaboração de Vidda Guzzo, ativista da Rede Brasileira de Pessoas Intersexo. O formulário pode ser acessado aqui.

O mapeamento tem por objetivo apresentar, problematizar e discutir as diversas necessidades e demandas relacionadas à população transmasculina vivendo no Brasil, além de investigar e analisar violências vividas por esse segmento, rompendo com invisibilidades. O IBRAT entende que os resultados das análises contribuirão para o combate às violências e para a construção de políticas públicas, visando vida e melhorias para a população.

O formulário contém perguntas sobre violência sexual, violência doméstica, abordagens policiais e suicídio. As informações coletadas são estritamente sigilosas e somente a equipe de organização e produção terá acesso às respostas. A pesquisa irá se ater ocorrências em 2023, para obter dados sobre violências contra a população transmasculina neste ano. Somente pessoas transmasculinas devem participar da pesquisa.

Sobre o IBRAT

O Instituto Brasileiro de Transmasculinidades (IBRAT), organização criada em 2013, é uma rede nacional de ativistas da sociedade civil, sem fins lucrativos, que tem por objetivo desenvolver e monitorar pesquisas e discussões, oferecer formação política e incentivo à militância e exercer controle social de políticas públicas para a população transmasculina brasileira. Atualmente, encontra-se organizado a partir de núcleos regionais distribuídos por 15 estados das cinco regiões do país, compõe o Conselho Nacional de Combate a Discriminação e Promoção dos Direitos LGBTI+ (CNCD/LGBT) e vincula-se à REDCAHT (Rede de Coletivos Americanos de Transmasculinidades). Contatos com o IBRAT podem ser feitos pelo e-mail diretoriaibrat@gmail.com.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *