24 de junho de 2024

Expectativa dos especialistas é que até o fim do ano o Brasil esteja distribuindo a nova droga gratuitamente

Por Ellen Cristie
Publicado pelo portal Estado de Minas, em 09/10/2023

Um comprimido por dia ao invés de dois. Pessoas que vivem com o vírus HIV (imunodeficiência humana) têm, agora, um medicamento único, que promete facilitar a vida dos usuários. É que o remédio combina dois antirretrovirais, sendo ambos fornecidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) – a Lamivudina e o Dolutegravir. 

Com o uso da associação medicamentosa, é possível minimizar a não-aderência, já que reduz o uso de múltiplos medicamentos em várias doses diárias. Além de simplificar o esquema terapêutico, o remédio favorece o cuidado contínuo ao longo de toda a vida e mantém a carga viral controlada.

Aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a previsão é de que Dovato chegue ao Brasil no fim deste ano. No momento, está em fase final de licitação e distribuição. 

Ronaldo Campos Hallal, infectologista que integra o corpo clínico da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre e do Hospital Mãe de Deus, explica que a lei 9.313, de 13 de novembro de 1996, versa sobre a distribuição gratuita de medicamentos aos portadores de HIV e doentes de Aids, assim como o acesso a todos os tratamentos decorrentes da doença. “Periodicamente, os protocolos são atualizados, mas desde 2017 não há nenhuma mudança.”

Atualmente, uma equipe formada por especialistas na área, ligada ao Ministério da Saúde, e dividida em comitês, propôs a introdução dessa medicação única, pensando em vários benefícios: na melhoria da adesão dos pacientes, na redução de pacientes que abandonam o tratamento e no controle de doenças oportunistas, entre as quais a tuberculose. 

Presente no Congresso da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), em Salvador (BA), no mês passado, Hallal lembrou do coquetel anti-HIV, muito utilizado como primeiro tratamento nos anos 1990. “Se antigamente era comum que os pacientes tomassem cerca de 10 comprimidos por dia, com essa mudança seria somente um.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *