19 de maio de 2024

Pesquisas mostram que companhias mais diversificadas e inclusivas têm maiores taxas de retenção de funcionários talentosos

Por Ana Paula Machado
Publicado pelo portal Veja, em 5 de setembro de 2018

Pesquisa do Credit Suisse mostrou que 73% dos profissionais LGBT + têm mais chances de sair do emprego no prazo de um ano, quando a empresa não tem iniciativas inclusivas (David Greedy/Getty Images)

Mais de 30 empresas e organizações não governamentais, que juntas empregam cerca de 100 mil pessoas no Brasil, assinam uma carta na qual pedem que os candidatos à Presidência do Brasil reconheçam a importância da diversidade e da inclusão do público LGBT no local de trabalho. A carta foi divulgada ontem, pelas organizações não governamentais Grupo Dignidade e Aliança Nacional LGBTI em conjunto com a organização Out & Equal Workplace Advocates.

Entre as empresas que assinam o documento estão os CEOs da Accenture, Braskem, Citi, Dow, GE, GOL, Google, IBM, J.P. Morgan, Kimberly-Clark, LinkedIn, Microsoft, Nike, Oracle, Uber, entre outras.

José Berenguer, CEO do banco J.P. Morgan no Brasil, disse que o documento é um alerta sobre a importância de se criar um ambiente mais diverso e inclusivo. “A diversidade é um tema muito importante e faz parte da cultura dessas empresas que assinaram o manifesto”, disse.

Segundo ele, o JP Morgan mantém há cinco anos um grupo de acolhimento, o Pride. “Também temos discussões sobre como incluir a diversidade no ambiente de trabalho, seja ela de qualquer esfera. E esse debate também é levado para fora do banco. Tentamos mostrar para outras empresas do mercado financeiro como é importante discutir o tema com os funcionários”, ressaltou o executivo.

Steve Roth, diretor da Out & Equal Workplace Advocates, afirma que o manisfesto visa mostrar as iniciativas que essas empresas têm para inclusão e retenção desses profissionais no ambiente de trabalho. “Como em outros países, as companhias no Brasil estão começando a expressar publicamente as questões que são consistentes com seus valores. As organizações que assinaram a declaração acreditam que os valores que defendem podem estar em jogo nas próximas eleições. Assim, essas empresas acreditam que é importante que os candidatos à presidência considerem a importância dos valores de diversidade, respeito e inclusão para suas empresas, seus funcionários e o país como um todo”, disse.

Roth acrescentou que o porcentual de retenção de talentos em um ambiente mais inclusivo é enorme. Pesquisa do Credit Suisse mostrou que 73% dos profissionais LGBT têm mais chances de sair do emprego dentro de um ano quando a empresa não tem políticas inclusivas.

O representante da ONG disse que a organização Open for Business, que é referenciada no manifesto, compilou pesquisas indicando que empresas mais diversificadas e inclusivas têm maiores taxas de retenção de funcionários talentosos. “Escolhemos organizar essa iniciativa porque acreditamos firmemente que todas as pessoas merecem ser tratadas com igualdade, inclusão e respeito no local de trabalho. Sabemos que muitas corporações no Brasil compartilham esses valores e queríamos dar a elas uma plataforma para que suas vozes fossem ouvidas”, afirmou.

1 thought on “Empresas pedem compromisso de candidatos com inclusão LGBT no trabalho

  1. Há situações em que é gerada competitividade entre colegas homens, especialmente, quando sejam de gerações diferentes. Em 2018, tinha começado “romance” com colega do setor vizinho, gerando um “revezamento” dos colegas do meu setor, pensando que ele iria embora ao perceber que eu Não estava só!Ajustamos nossos horários para que ele fosse ao meu setor oferecer carona e eu pudesse ir, quando quiséssemos transar! Percebendo que mantivemos nosso elo, aqueles que curtiam eu de “sindico do setor” (funcionário do setor sempre presente), voltaram aos seus horários normais de entrada e saída da jornada!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *