14 de abril de 2024

Julio Cesar Silva
Publicado pelo Diário do Centro do Mundo, em 16/10/2023

Foto: reprodução

Nesta segunda (16), os deputados federais Erika Hilton, Pastor Henrique Vieira e Luciene Cavalcante, todos do Psol, apresentaram uma denúncia ao Ministério Público Federal (MPF) solicitando uma investigação sobre a Igreja Assembleia de Deus de Rio Verde, em Goiás, por alegada promoção da prática de “cura gay”.

De acordo com os parlamentares, essa congregação é acusada de realizar o retiro “Maanaim”, que oferece serviços com o objetivo de “converter” pessoas gays, lésbicas e bissexuais à homossexualidade. A influenciadora Karol Eller, que tinha ligações com o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) e trabalhava no gabinete do deputado estadual Paulo Mansur (PL), teria frequentado esse local. Ela suicidou-se na semana passada, em São Paulo, aos 36 anos.

Os deputados afirmam que os tratamentos de “cura gay” são considerados práticas de tortura e violência contra a comunidade LGBTQIAPN+. Eles destacam que a orientação sexual e a identidade de gênero são características inerentes a cada indivíduo e não podem ser alteradas.

Os parlamentares também enfatizam que o Conselho Federal de Psicologia proíbe essas práticas e sugerem que sejam movidas ações judiciais por crimes de homofobia, transfobia, tortura psicológica e incitação ao suicídio.

Os deputados solicitam que a investigação não se limite à igreja em Rio Verde, mas inclua entidades, profissionais, grupos e empresas envolvidos nessa atividade em todo o Brasil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *