24 de junho de 2024

Durante presidência pro tempore do Mercosul, Brasil auxilia Paraguai e Uruguai na elaboração de painéis para a avaliação de testes rápidos

Publicado pela Agência de Notícias da Aids, em 15/11/2023

Foto: Shutterstock

Comissão Intergovernamental de HIV e Aids no Mercado Comum do Sul realizou webinares, visitas técnicas, oficinas, participações em eventos científicos e reuniões com o objetivo de fortalecer a resposta ao HIV, à aids, às hepatites virais e às Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs). As ações ocorreram durante a presidência pro tempore brasileira do Mercosul, quando o país fica responsável, durante um semestre, por sediar e coordenar as reuniões de todos os órgãos envolvidos nas negociações do bloco.

Segundo a assessora internacional do Departamento de HIV, Aids, Tuberculose, Hepatites Virais e Infecções Sexualmente Transmissíveis (Dathi), a servidora pública Tatiana Estrela, os benefícios dessa experiência para o Brasil abrangem áreas que vão desde o fortalecimento técnico-científico até a melhoria da saúde pública e relações internacionais. “A atuação da Comissão, liderada pelo nosso país, foi bem-sucedida, mostrando progresso significativo no fortalecimento da rede de diagnóstico e monitoramento; na liderança regional em saúde pública; na colaboração transacional; na resposta à transmissão vertical; e na ampliação de conhecimentos e inovação”, elencou.

As atividades são parte de dois projetos estratégicos conduzidos pela Comissão. O primeiro é centrado na Avaliação Externa da Qualidade (AEQ) para a rede de diagnóstico e monitoramento de HIV, outras ISTs e hepatites virais. O objetivo é investir na qualificação dos profissionais do Mercosul para implementação da AEQ da rede de diagnóstico e monitoramento de testes rápidos, cargas virais, contagem de linfócitos TCD4+ e biologia molecular para clamídia e gonococo. Entre as ações dessa iniciativa, destacam-se a elaboração do “Protocolo Único para elaboração de painéis de amostra seca em tubo para controle de qualidade dos testes rápidos de HIV, sífilis e hepatite C”, bem como as visitas técnicas de profissionais do Ministério da Saúde para apoiar Paraguai e Uruguai na produção da primeira rodada de painéis a serem utilizados na avaliação de qualidade para testes rápidos para HIV, sífilis e hepatites.

Já o segundo projeto, denominado “Eliminação da Transmissão Vertical do HIV, Sífilis e Hepatite B em Municípios de Fronteira do Mercosul”, visa desenvolver um plano de ação estratégico para eliminar a transmissão vertical de HIV, sífilis e hepatite B. Este plano é focado nas regiões fronteiriças que abrangem os municípios de Foz do Iguaçu (Brasil); Puerto Iguazú (Argentina); Ciudad del Este (Paraguai); Ponta Porã (Brasil); Pedro Juan Caballero (Paraguai); Uruguaiana (Brasil); Paso de Los Libres (Argentina); Santana do Livramento (Brasil); Rivera (Uruguai); Chuí (Brasil) e Chuy (Uruguai). De acordo com Tatiana Estrela, ao longo das atividades, ficou evidente a necessidade de uma abordagem coordenada e transnacional para eliminar essas infecções.

No contexto desse projeto foi realizada a oficina “Fortalecendo Ações de Vigilância e Prevenção da Transmissão Vertical do HIV e Sífilis na região de Fronteira do Mercosul”. Mais de 70 pessoas entre profissionais de saúde de Foz do Iguaçu e outros municípios pertencentes a 9ª Regional de Saúde do Paraná, além de técnicos das demais cidades, participaram da qualificação. Além disso, foram promovidas discussões de casos clínicos e abordagens sobre o cálculo de indicadores epidemiológicos, com foco na transmissão vertical, proporcionando aos presentes uma compreensão integral dos desafios e das melhores práticas para os serviços de saúde.

Fonte: Departamento de HIV, Aids, Tuberculose, Hepatites Virais e Infecções Sexualmente Transmissíveis (Dathi)

Clipping LGBT+ no Instagram
Clipping LGBT+ no Facebook

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *