É LGBT e precisa de ajuda? Saiba onde buscar auxílio social, psicológico e jurídico gratuito em Salvador

Toda equipe do Centro tem ligações com a causa LGBT (Foto: Tailane Muniz)

Publicado pelo blog Me Salte, do portal Correio, em 18 de maio de 2015.

Por Tailane Muniz*

Primeiro serviço de atendimento especial ao público LGBT, em Salvador, o Centro de Referência LGBT (no Rio Vermelho) foi inaugurado pela Prefeitura Municipal em 18 de março, há exatos dois meses e, nesse período, já recebeu quase 600 visitantes; entre grupos de estudantes, pesquisadores, curiosos e pessoas que foram procurar orientação social, psicológica ou jurídica.

Para o seu coordenador, Vida Bruno, o centro tem um papel importante para a sociedade, de maneira geral. “Temos a função de fazer a inclusão do LGBT junto à sociedade e, mais, temos o dever de educar essa sociedade para a realidade das orientações sexuais”, disse.

Segundo Bruno, os índices de violência contra o público LGBT são uma crescente e o centro já recebeu casos diversos. “Tudo é sigiloso mas posso dizer que as pessoas chegam aqui frágeis, vulneráveis e com dor na alma, em decorrência das situações de exposição. De fato, há um dano moral e material a essas vítimas de intolerância”, completou.

A secretária municipal da Reparação de Salvador, Ivete Sacramento, disse que, com base nas ocorrências do Observatório da Discriminação Racial e LGBT, foi possível perceber uma fragilidade no atendimento prestado pela polícia ao público LGBT. “Estamos em articulação para um programa de treinamento com a polícia civil, propomos essa capacitação porque é uma questão que inibe as denúncias”, pontuou.

O transexual Edy Martins, 42 anos, disse que as dúvidas sobre a vida, a relação com a família e os “fantasmas” o levaram a procurar o Centro. “Os preconceitos, as cobranças que eu sofri ao longo da vida me trouxeram aqui, esses são meus fantasmas”, afirmou. Edy, que foi ao centro receber atendimento psicológico, disse que se sentiu acolhido pelos colaboradores e destacou como positiva a diversidade entre eles. “Eu tinha muitas dúvidas e vim para esclarecer, encontrei muito apoio; eles tentam ajudar, eu indico o centro aos meus amigos.”, finalizou.

A secretária salientou a importância das vítimas buscarem ajuda e disse que há um monitoramento nas redes sociais em busca de casos. “Há uma varredura feita por cada um de nós, todos os dias. Qualquer pessoa LGBT que se sinta fruto de violência e não puder comparecer, pode procurar o centro via telefone ou WhatsApp (71 98622-5494). Nossa equipe é itinerante e vai onde está a vítima. É importante que essas pessoas saibam que aqui elas têm voz”, finalizou. O local também atende pelo telefone (71) 3202-2750.

Onde buscar ajuda?

O Centro de Referência LGBT de Salvador está localizado no bairro do Rio Vermelho (Avenida Oceânica, n. 3.731) e funciona de 8h às 17h, de segunda a sexta-feira. O ambiente dispõe de recepção, refeitório e auditório, além das salas de atendimento, divididos entre térreo e primeiro andar. Lá o público LGBT encontra atendimento social, psicológico e jurídico. Os atendimentos são fixos e há acompanhamento dos casos.

Todos os membros do Centro, entre corpo técnico e demais funcionários, são engajados com a causa LGBT porque, segundo a coordenação, há uma preocupação em receber essas pessoas do jeito mais adequado.  Denúncias online podem ser feitas por meio do Observatório da Discriminação Racial e LGBT, da Secretaria Municipal de Reparação (Semur).

* Integrante da 10ª turma do Programa CORREIO de Futuro.

Share

You may also like...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *