14 de julho de 2024

Por Daniel Victor
Publicado pelo portal Observatório G, em 15/06/2024

O duo Les Étoiles (Rolando Faria e Luiz Antônio)

Luiz Antônio e Rolando Faria formaram, em Barcelona, um antológico duo que, na França, ganhou a alcunha de Les Étoiles devido ao enorme glamour que circundava os dois, que foram também os responsáveis por apresentar ao público francês os maiores compositores do Brasil.

Antes do surgimento do Les Étoiles ambos já tinham uma carreira em ascensão aqui no Brasil. Rolando Faria, por exemplo, fez parte do Movimento Artístico Universitário(MAU), que era integrado por nomes como Ivan Lins, Gonzaguinha e Aldir Blanc. O Movimento ficou conhecido nacionalmente no programa Som Livre Exportação da TV Globo.

Rolando também integrou, antes do Les Étoiles, o grupo Central do Brasil, cujo diretor musical era o pianista Gilson Peranzzetta. Luiz Antônio, por sua vez, já havia participado de duas edições do Festival Internacional da Canção e também integrou o grupo Aquarius.

Embora já soubessem da existência um do outro na época em que moravam no Brasil, foi em Barcelona, no ano de 1974, que a parceria começou, a pedido de um dono de boate que já vislumbrava a potência artística da junção do talento dos dois.

O primeiro LP “Meu coração é um pandeiro” é lançado em 1976 ainda sem o nome artístico Les Étoiles. Neste álbum encontramos pérolas do cancioneiro nacional como a faixa-título, composta por Gonzaguinha, além de “Joana Francesa” de Chico Buarque, “Sol Negro” de Caetano Veloso, “Viola Violar” de Milton Nascimento e Márcio Borges e o clássico “Chica Chica Boom Chic” de Harry Warren, Mack Gordon com versão em português de Osvaldo Santiago. Esta canção, que era até então conhecida apenas na voz de Carmen Miranda, torna-se um dos maiores sucessos do Les Étoiles na França.

Também é válido ressaltar o segundo LP “Piratas do sentimento”, de 1977, com as belíssimas interpretações de “Ébano” de Luiz Melodia, “Antes Que Eu Volte A Ser Nada” de Leci Brandão, “Nacional Kid” de Joyce Moreno, “Sinherê” de Edu Lobo e Gianfrancesco Guarnieri e alguns cantos de candomblé adaptados pelos próprios Luiz e Rolando.

Também em 1977 realizam o sonho de cantar no L’Olympia, a mais antiga casa de shows de Paris, abrindo os shows do famoso cantor Claude Nougaro e participando como backing vocals do álbum dele “Live à L’Olympia” na faixa “Les Noces De Sang” no mesmo ano de 1977.

Somente em 1981 é lançado no Brasil um LP do duo Les Étoiles, um compilado dos dois primeiros LPs que haviam sido lançados na França em 1976 e 1977. Este álbum nunca foi relançado em CD e é considerado um artigo de colecionador.

Les Étoiles nunca foi considerado, a bem da verdade, um duo recordista de vendas de discos. Seu maior sucesso se deu nos palcos e boa parte desse prestígio também foi conquistado devido às recorrentes apresentações em programas de TV franceses, em especial o programa Made in France, apresentado pela cantora France Gall.

Outro fato digno de nota é a diferença na escolha do visual fora do palco. Segundo o pesquisador Jorge Caê Rodrigues, que em breve lançará uma biografia do Les Étoiles em parceria com Djalma Thürler, Luiz Fernando aos poucos passou a aderir à estética visual que usava nos palcos também no seu cotidiano enquanto Rolando Faria a reservava apenas às performances do Les Étoiles.

Também é válido lembrar que, segundo o próprio duo declarou, numa entrevista ao jornal LGBTQIAPN+ brasileiro Lampião de Esquina, em junho de 1981, a música brasileira na França ainda não estava bem definida para os franceses. Por um lado os intelectuais do país pensavam que o único tema de nossas canções era o protesto à ditadura militar vigente no Brasil e, para a maioria da população francesa, nossas canções só estavam vinculadas à estética do carnaval. Neste sentido, o duo Les Étoiles foi crucial para mostrar à Europa toda a diversidade estética e temática do nosso cancioneiro.

Les Étoiles ainda sobreviveu muitos anos, apenas com apresentações pontuais. O fim definitivo do duo se deu em 2001 com a morte precoce de Luiz Antônio, aos 55 anos, em função de problemas hepáticos. Rolando Faria nos deixou em 2021 em virtude de questões relacionadas ao diabetes.

As estrelas Luiz Antônio & Rolando, porém, nunca deixarão de cintilar e iluminar o Brasil com todo o brilho que deixaram por aqui e pela França. A belíssima trajetória do Les Étoiles jamais será esquecida por qualquer um que, porventura, teve o privilégio de conhecer seu grandioso trabalho.

Luiz Antônio e Rolando Faria, presentes! Viva, Les Étoiles!

Clipping LGBT+ no Instagram
Clipping LGBT+ no Threads
Clipping LGBT+ no Facebook

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *