Fifa confirma que grito de torcedores em tiro de meta é homofóbico

Confederações de Argentina, Chile, México, Peru e Uruguai já foram multadas e advertidas por gritos de “puto”, forma pejorativa de se referir a homossexuais, quando o goleiro da equipe adversária vai cobrar um tiro de meta. No Brasil, torcidas de muitos clubes fazem o mesmo ao chamar arqueiros rivais de “bicha”

Publicada pela Revista Fórum, em 24 de março de 2016

esporte2

(Foto: Rafael Ribeiro/CBF)

De acordo com reportagem do jornal Folha de S. Paulo, a Federação Internacional de Futebol (Fifa) tem colocado fiscais nos campos em jogos das eliminatórias para a Copa do Mundo com o objetivo inicial de monitorar ações racistas das torcidas. Contudo, as principais manifestações de preconceito na América do Sul, e que têm recebido punição, são as homofóbicas.

A confederação chilena foi punida em seus quatro jogos nas eliminatórias para a Copa de 2018. Nesta quinta-feira (24), o Chile enfrenta a Argentina e haverá orientação pelos alto-falantes para que não seja feito o coro de “puto”, expressão pejorativa que se refere a homossexuais e que é gritada por torcedores quando o goleiro da equipe rival vai cobrar o tiro de meta.

O grito foi iniciado no México e logo se espalhou para outros países. A seleção do país, a propósito, também já foi punida nestas eliminatórias. Argentina, Chile, Peru e Uruguai já receberam punição pelo mesmo motivo e as multas variam entre R$ 20 mil e R$ 75 mil. No Brasil, torcedores de diversos clubes fazem o mesmo, adaptando o coro para “bicha”.

•••

CLIQUE AQUI E CONHEÇA A PÁGINA DO CLIPPING LGBT NO FACEBOOK.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *