Declarações de Paulo Gustavo geram críticas da militância brasileira

Discurso de Paulo Gustavo não ajuda a evitar o preconceito, diz grupo do Rio de Janeiro

Publicado no portal Mix Brasil, em 21 de agosto de 2014

paulogustavoNão foi sem críticas (muitas) que a recente declaração do ator Paulo Gustavo foi recebida pela militância LGBT brasileira. O comediante declarou em entrevista nesta semana que se assumir gay gera preconceito. Ele também criticou a realização de Paradas do Orgulho LGBT. Organizador da marcha militante na cidade do Rio de Janeiro, o Grupo Arco-Íris de Cidadania LGBT divulgou nota dando sua opinião sobre as declarações.

“Eu não teria problema em falar se sou gay ou se sou hétero. Mas acho que ficar levantando bandeira para esse assunto é que gera o preconceito. Eu sou contra a Parada Gay, acho que não tem que ter isso. Não existe Parada Hétero. Acho que, com isso, a gente fica só valorizando os idiotas. Os que são preconceituosos devem ser ignorados simplesmente”, contou ele ao jornal “O Dia”.

Para a entidade, o discurso de Paulo Gustavo “fez o caminho inverso do que você mesmo disse querer evitar: o preconceito. Quando você diz que não levanta bandeiras porque isso gera mais preconceito e fala mal da Parada Gay, isso afeta diretamente um trabalho que é feito, a muito custo, por uma equipe que luta bastante contra o preconceito”. Confira a mensagem na íntegra:

“Caro Paulo Gustavo,

Há 21 anos o Grupo Arco-Íris de Cidadania LGBT pauta a sua luta pela dignidade, respeito e direitos para lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais. Desde o seu início, assim como acontecem em diversas outras cidades do Brasil e do mundo, a Parada do Orgulho LGBT Rio é o evento que encerra uma série de atividades que acontecem para mostrar a militância LGBT através de palestras, debates, mostras de filmes temáticos, performances artísticas como shows e peças teatrais, rodas de conversas, distribuição de textos e material de prevenção contra DST/Aids. Portanto, acredito que você só conheça uma pequena parte do que a bandeira do arco-íris esticada na orla de Copacabana representa. Sim, é uma festa cheia de gente se beijando, com música, bebida, o povo se divertindo. Nada muito diferente das outras festas que vemos Brasil afora. Porque o povo brasileiro é assim: festeiro, consegue ser feliz apesar de todas as adversidades. E você sabe muito bem disso, já que a sua arte é fazer o povo rir através de figuras caricatas do nosso dia-a-dia.

Infelizmente o seu discurso fez o caminho inverso do que você mesmo disse querer evitar: o preconceito. Quando você diz que não levanta bandeiras porque isso gera mais preconceito e fala mal da Parada Gay, isso afeta diretamente um trabalho que é feito, a muito custo, por uma equipe que luta bastante contra o preconceito.

Não podemos deixar de visibilizar que em 2012, segundo dados oficiais da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, foram documentados 338 assassinatos de LGBT em nosso país, um assassinato por homofobia a cada 26 horas. O Brasil confirma sua posição de primeiro lugar no ranking mundial de assassinatos homofóbicos, concentrando 44% do total de execuções de todo o planeta.

Você consegue mensurar a proporção que esse assunto está tomando porque você fez esse comentário? Quantas pessoas estão aderindo “à raiva pela Parada Gay” porque você disse que não gosta e não levaria a sua família? Você já foi a uma Parada LGBT? Se não foi, está convidado a ir, principalmente antes de começar a concentração, quando as famílias vão aproveitar os serviços prestados antes do evento. Não sabe quais são? Vacinação contra a Hepatite B, distribuição de folhetos com dicas de saúde, conscientização ambiental, distribuição de camisinhas masculinas e femininas e muito mais. Ao todo, em 2013 foram distribuídos 700 mil preservativos e foi feita uma campanha a favor da testagem voluntária para o vírus HIV.

Sobre a segurança, a qual você deduziu ser precária, seguem dados também de 2013: 400 PMs trabalharam com 200 seguranças particulares contratados pela organização. Os policiais tiveram ao seu dispor seis quadriciclos e 10 torres de observação.

As Paradas do Orgulho LGBT trouxeram a visibilidade para uma comunidade até então marginalizada. Desde 1995, as Paradas contribuíram para uma mudança de concepção da sociedade sobre a comunidade LGBT, construindo um caminho de avanços civis até decisão histórica do Supremo Tribunal Federal, com o reconhecimento da união civil entre pessoas do mesmo sexo.

Também ressaltamos que as Paradas são reconhecidas desde 2006, pelo Ministério da Cultura, como uma expressão artística da população LGBT como “bem cultural” e “patrimônio” do povo brasileiro. Além disso, auxiliaram na construção de políticas públicas voltadas para a garantia da cidadania da comunidade LGBT e o combate à homofobia, como a Coordenação Geral LGBT do Governo Federal e o Programa Rio sem Homofobia.

Portanto, através dessa nota, esperamos ter esclarecido algumas questões sobre a Parada do Orgulho LGBT Rio. E esperamos, do fundo dos nossos corações, que você perceba que a nossa luta diária contra a homofobia deve começar dentro de nós mesmos”.

Grupo Arco-Íris de Cidadania LGBT

•••

O CLIPPING LGBT TAMBÉM ESTÁ NO FACEBOOK. CLIQUE AQUI, CONFIRA E CURTA NOSSA PÁGINA.

One thought on “Declarações de Paulo Gustavo geram críticas da militância brasileira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *